Facebook aposta na produção de séries gratuitas para concorrer com Netflix

Rafael Ladwig

O Facebook deixou de focar em sua proposta original e hoje além de ser uma rede social é um aglomerado de serviços e produtos tecnológicos que oferece inúmeras possibilidades aos seu usuários, sendo responsável por um dos maiores números de acessos em toda a rede.

É claro que para manter esse fluxo de usuários a rede social não mede investimentos e está sempre inovando e buscando por novas estratégias e serviços, sua mais recente aposta é a produção e exibição de séries exclusivas em sua própria plataforma, assim concorrendo diretamente com as empresas que dominam esse tipo de serviço, o Netflix e a Amazon Prime Video.

A ideia é lançar videos em dois modelos diferentes, um com projetos e orçamentos maiores, voltados para exibição na TV, outro voltado pra títulos menores, com vídeos curtos e de baixa produção para serem lançados diariamente na própria rede social.

A estratégia vai além de manter os usuários conectados, visa alcançar uma parcela dos investimentos que empresas realizam em publicidades voltadas a atrações televisivas. Contando com esse alcance, o serviço será gratuito aos usuários, adotando um formato de TV convencional, onde a remuneração será gerada através de propagandas durante a exibição e entre os intervalos das atrações.

O projeto inicial conta com a produção de um pouco mais de 20 séries originais e esta sendo dirigido por Ricky Van Veen, cofundador do site de comédia CollegeHumor e funcionário do Facebook desde dezembro de 2017.

Como nem mesmo o Facebook sabe se o projeto será bem recebido, tudo esta sendo idealizado de forma discreta e não foram divulgados quais temas serão abordados no projeto.

Apostas e previsões

Além da criação de séries, o projeto vai produzir programas de celebridades com intuito de manter o publico jovem na rede social, já que cada vez mais migram para outras plataformas.

Também é alvo do projeto a parceria com ligas esportivas em todo o mundo, com o objetivo de transmitir partidas ao vivo diretamente no feed do Facebook. “Esporte é, provavelmente, uma coisa que tentaremos em algum ponto”, afirmou o CEO e fundador da rede social, Mark Zuckerberg, em uma conferência com investidores.

Não há como prever se o projeto será bem recebido pelos usuários da rede social e talvez exista uma rejeição já que o público pode não ver no Facebook uma plataforma para acompanhar séries e programas. Entretanto, é possível entender a aposta de Mark no projeto, se levado em consideração a aprovação dos usuários com vídeos que já são publicados no feed.

A estratégia já esta sendo adotada por várias outras plataformas (Inclusive o Youtube) que buscam superar a migração de grandes anunciantes para outras mídias.

Não foi anunciado data para lançamentos, mas há indícios que os primeiros vídeos já sejam lançados na plataforma em junho de 2017.

 

 

TAGS: , , ,
1

Rafael Ladwig

Estudante de Direito, assíduo em séries, fascinado por filmes nacionais, blogueiro e escritor nas horas vagas.

Deixe uma resposta