fbpx

Conheça o PIX, novo sitema de pagamento do banco central.

09.09.2020

O que é o meio de pagamento PIX?

PIX, o novo meio de pagamento instantâneo brasileiro criado pelo Banco Central, que já vem sendo comentado há muito tempo, entretanto, agora em 2020 teve sua data de lançamento agendada para o dia 16 de novembro de 2020.

Mas o que realmente é o PIX? Você sabe?

Com objetivo de esclarecer as principais dúvidas sobre o novo meio de pagamento do Banco Central, vamos trazer aqui 10 respostas sobre o que é o PIX e como pode ser utilizado no dia a dia por empresas e pessoas físicas.

  1. O que é o pagamento PIX?

O PIX nada mais é que um sistema de pagamento instantâneo, que disponibilizará aos seus usuários velocidade nas transações financeiras que deverão acontecer em até 10 segundos por padrão. O novo meio de pagamento tem em suas principais características a velocidade de transação, conveniência, segurança e um ambiente aberto. Praticamente livre de tarifas, e permitindo que os usuários de pessoa física não paguem taxas para fazer transferência de valores, o novo meio de pagamento promete revolucionar o mercado de pagamentos no Brasil.

  • Como funciona o PIX?

Através da utilização do PIX os usuários poderão fazer todos os tipos de transferências de valores como:  pessoa física para pessoa física, pessoa física para jurídica e jurídica para pessoa física. Mas o funcionamento do PIX se dará através de um cadastro, onde os bancos, fintechs ou plataformas de pagamentos deverão estar cadastrados para disponibilizar essa funcionalidade para seus clientes.

Por sua vez, cada usuário deverá fazer seu cadastro através de sua instituição financeira e assim terá sua chave PIX. Essa chave que permitirá todo o tipo de transação, facilitando e disponibilizando aos usuários, pagamentos mais rápidos, seguros e principalmente instantâneos.

  • Como se cadastrar no PIX?

Primeiramente a instituição financeira, bancos, fintechs e meios de pagamento deverão estar cadastrados junto ao banco central para poderem disponibilizar aos seus usuários o meio de pagamento do PIX. De acordo com Ângelo Duarte, chefe do departamento de competição e de estrutura de marcado financeiro do Banco Central, hoje no Brasil já existe mais de 900 instituições financeiras cadastradas, e o registro no PIX para empresas e pessoas físicas deverá ser disponibilizado a partir de 05 de outubro de 2020.

  • O que é uma chave PIX e como funciona?

A chave PIX nada mais é que a forma de identificação do usuário dentro do novo sistema do banco central. Hoje, por padrão, para ser realizada uma transferência de valores seja elas via DOC ou TED, os usuários precisam de dados como: Nome Completo, CPF, Banco, Agência e Conta. Com os pagamentos via PIX, você precisará apenas da chave PIX do destinatário da transação, com este dado você já poderá fazer sua transação e ter a confirmação de pagamento em menos de 10 segundos.

O funcionamento da chave PIX será da seguinte forma: o usuário cadastrado deverá informar o seu tipo de chave, que pode ser um NÚMERO DE CELULAR, RG, CPF, E-MAIL ou um NUMERO ALEATÓRIO gerado pelo sistema do PIX. Com apenas 1 dado deste você já terá à sua disposição sua chave PIX. A partir dai você já pode enviá-la para outra pessoa ou empresa para receber pagamentos.

O grande objetivo do PIX será facilitar e agilizar as transações financeiras, sem que você precise de diversos dados bancários para fazer transferências eletrônicas de valores.

  • Como utilizar o PIX para pagamentos?

Basicamente os pagamentos via PIX deverão acontecer em 3 formatos disponíveis até o momento.

                CHAVE PIX: Com a chave cadastrada você pode fazer e receber transferências dentro do novo sistema a qualquer momento, 24 horas por dia, desde que quem for pagar tenha sua chave PIX e vice e versa.

                QR CODE: O pagamento através de QR Code permitirá que você gere o código para receber valores ou pagar contas com a funcionalidade ativa.

                APROXIMAÇÃO (NFC): o PIX, funcionará ainda com aproximação através de dispositivos e maquinas que já utilizam esta tecnologia de aproximação.

  • Quanto custa fazer transferências ou pagamentos pelo PIX?

As transferências entre pessoa física não terão custo algum, sendo gratuitas independente da instituição financeira. A transferência de valores de pessoa física para pessoa jurídica também não terá custos para pessoa física que estiver fazendo o pagamento ou transferência, por outro lado quem estiver a conta jurídica que estiver recebendo o valor estará sujeita a taxas de acordo com sua instituição financeira. Entretanto, esses valores deverão muito menores que as atuais taxas de DOC e TED.

O pagamento com o PIX permitirá as empresas (pessoa jurídica) que não precisem mais estar vinculadas a uma máquina de cartão para receber os valores de vendas de produtos ou serviços, pois com o pagamento instantâneo, as empresas poderão fazer transações por QR Code, ou chave PIX sem a necessidade de passar por uma intermediadora como é o caso das maquinas de cartão de crédito ou débito.

  • O PIX tem limite de valor? É possível agendar um pagamento via PIX?

Inicialmente os pagamentos não terão um limite de valores, mas como já acontece hoje em dia em outros tipos de transações financeiras como DOCs e TEDs, os usuários deverão estar sujeitos a algumas limitações de valores devido a horários e perfil de transações de cada tipo de usuário. Para isso as instituições financeiras deverão se responsabilizar por este tipo de operação.

Os pagamentos agendados também funcionarão dentro do PIX permitindo que pagamentos possam ficar agendados para datas futuras de acordo com o combinado entre as partes que estarão utilizando o sistema de pagamento PIX.

CONCLUSÃO:

O novo sistema de pagamento PIX do banco central deverá revolucionar o mercado brasileiro, assim como já acontece em outros países pelo mundo, pois o seu novo método de trabalho irá trazer muitas mudanças para o mercado, principalmente para as empresas de maquinas de cartão de crédito, exigindo uma grande movimentação estratégica destas empresas que precisarão se adaptar a essa nova realidade.

O pagamento deverá agilizar a circulação de capital, uma vez que com o pagamento instantâneo não será mais preciso esperar 2 ou mais dias para receber o dinheiro e utilizá-lo.

Por fim essa grande novidade ainda em sua primeira versão já promete movimentar bastante o mercado, e as atualizações futuras deverão trazer ainda mais novidades e funcionalidades para melhorar as transações financeiras no Brasil e fazer que o capital das empresas e pessoa física circulem de forma mais rápida e segura.

Fonte: Infomoney

Sobre o autor

1

Diogo Faquinha

Com formação acadêmia em administração de empresas e marketing digital, conta com 12 anos de experiência profissional na área digital. É sócio na Oxigenweb Agência Digital.

Deixe seu comentário